logo_branca.png
  • Optimus Engenharia Júnior

5 Problemas decorrentes da má precificação



Isso não tem preço!”, “Saiu em conta”, “Está de graça”, “Uma pechincha”. Provavelmente você já ouviu ou disse essas expressões ao realizar uma compra que foi vantajosa e coerente com os seus interesses. Saiba que isso é resultado de uma boa precificação.


Mas, o que seria precificação?


É muito mais do que apenas etiquetar um produto em uma prateleira ou afirmar que um serviço vale “X”. Na verdade, é uma prática de avaliar fatores internos e externos a empresa e a partir disso, adaptar os preços dos produtos ou serviços de acordo aos seus objetivos. Além disso, tal prática vai mostrar ao seu cliente o valor que a sua marca possui, e consequentemente se vale a pena efetuar a sua compra ou contratação.


Desse modo, para realizar a precificação é necessário ter em mente o valor que será visto pelo cliente, levando em consideração a lucratividade, atratividade, competitividade, e os objetivos do negócio. Mas, o que acontece quando isso não é analisado?


Para deixar mais clara essa questão, trouxemos os 5 problemas decorrentes da má precificação:  


1. Desvalorização da marca no mercado


Preço baixo não é sinal de grande atratividade de clientes.

  Quando o preço é muito baixo a percepção de valor do cliente tende a decair, não enxergando grande qualidade naquilo que está sendo oferecido, e então optando por não efetuar a compra.

2. Dificuldade de pagamento dos impostos


Todo produto ou serviço possuem impostos associados ao seu desenvolvimento. Não considerá-los no momento de realizar a precificação é um erro grave, pois caso o preço esteja muito baixo pode reduzir as margens de lucro ou até mesmo trazer sérios prejuízos para a empresa.

3. Objetivos não atingidos por se basear no preço do concorrente

Sem dúvidas é necessário manter os olhos na concorrência, no entanto, é preciso saber que apesar de você e seu concorrente estarem no mesmo segmento as realidades são diferentes. 

O que isso quer dizer? Significa que os custos do negócio, as estratégias, o planejamento, a mão de obra, cadeia de fornecedores, e dentre outros aspectos, diferem.

Adotar o mesmo preço da concorrência pode deixar o seu negócio cada vez mais longe dos objetivos.


4. Ignorar o desenvolvimento das tarefas operacionais

Não pensar nos custos operacionais é outro grande erro ao precificar, visto que, assim como o pagamento de impostos, há uma limitação do lucro obtido, impactando negativamente no dia a dia da empresa.

5. Permanência de estratégias mediante alteração do preço

Não ter uma estratégia definida é como saltar de paraquedas sem paraquedas. Não tem como dar certo, já que não se tem a noção do que e de como serão alcançados os objetivos previstos.

O consumidor pode simplesmente não absorver essa mudança de preço da melhor forma, por exemplo: um aumento no preço de um produto por conta de uma personalização, entretanto não existem estratégias para que o cliente a perceba e enxergue valor. Tal situação contribui para impactos negativos do produto no mercado.


Diante desses problemas citados fica claro o porquê de realizar uma boa precificação e a relevância disso para a sobrevivência da empresa no mercado.


Quer desvendar os mistérios da precificação? Não perca tempo e baixe já o nosso e-book gratuito que o(a) ajudará a nortear o seu negócio. Basta acessar o link: https://www.optimusejr.com.br/landing-page.


Para mais informações entre em contato com a gente e agende o seu diagnóstico gratuito!


Por: Arthur Felipe




A Optimus Engenharia Júnior é uma empresa de Engenharia de Produção da Universidade Estadual de Santa Cruz. Foi fundada em 2008, e desde então presta serviços de consultoria e treinamentos de qualidade com um preço abaixo do mercado.

Acompanhe nossas redes sociais ou entre em contato pelo site.

© 2020 por Optimus

Informações