logo_branca.png
  • Optimus Engenharia Júnior

Como fazer um Fluxo de Caixa em poucos passos



Abrir uma empresa própria que seja lucrativa pode ser uma das maiores realizações de um ser humano, mas infelizmente não é só o amor pelo negócio que garante prosperidade.


Segundo pesquisas do IBGE, 60% das empresas no Brasil fecharam as portas num período de 5 anos. Alguns dos fatores constatados que ocasionaram essa taxa de mortalidade são a falta de gestão empresarial e de planejamento prévio.


É um fato que o objetivo de todo gestor é que a sua empresa cresça e dê lucros, mas para esse caminho ser trilhado com mais facilidade, é necessário olhar muito além do dinheiro que entra e sai da organização.


E é nesse contexto que o fluxo de caixa entra como fator fundamental para garantir a organização financeira da empresa.


Mas o que é fluxo de caixa?


O fluxo de caixa é uma espécie de ferramenta com todas as vendas, entradas, saídas, e outros pagamentos realizados pela empresa no dia a dia. A visualização dessas movimentações possibilita que o gestor tenha acesso ao saldo disponível e possa garantir que exista sempre capital de giro na empresa para futuros investimentos ou imprevistos.


O fluxo de caixa pode ser analisado de forma diária, semanal ou mensal, visto que todas as opções já garantem instrumentos úteis de análise para o negócio.


Esse processo geralmente começa de forma manual ou com o auxílio de planilhas em pequenos negócios, mas é recomendado que com o crescimento da organização seja utilizado algum sistema de gestão mais aprimorado.


Atenção!


A documentação de todos esses dados é crucial para tornar o processo mais eficiente, todas as receitas e despesas, por menores que sejam, precisam ser registradas.


Quais os tipos de fluxo de caixa?


Existem algumas formas de realizar esse processo para obter diferentes informações a respeito do fluxo, são elas:


  • Fluxo de caixa direto: É a forma mais convencional. Traz dados sobre as atividades operacionais, como o pagamento de contas. É uma boa alternativa para monitoramento do faturamento diário, mas é importante levar em conta que alguns descontos ou impostos não serão revelados nesse levantamento.

  • Fluxo de caixa projetado: Esse possui um histórico dos fluxos de caixa para que o gestor possa planejar e projetar investimentos ou entradas futuras. Essa é uma boa opção para corrigir erros no planejamento financeiro e para construir metas e investimentos de acordo com a realidade financeira.

  • Fluxo de caixa operacional: Apresenta a movimentação de caixa durante um período de tempo, sabendo também o faturamento total da empresa. Vale ressaltar que a opção é limitada em relação aos investimentos ou possíveis manutenções no capital de giro.

  • Fluxo de caixa livre: Também é ideal para fazer projeções de curto, médio e longo prazo. Mas para fazê-lo é preciso ter dados do fluxo de caixa operacional e projetá-los de 60 a 90 dias para dos dois primeiros períodos de tempo e de dois a cinco anos para o terceiro período (longo prazo).

Como implementar na minha empresa?


1. Organize todas as movimentações de caixa


No fluxo de caixa é imprescindível ter precisão dos dados que são coletados. É necessário saber exatamente de onde veio e para onde foi cada centavo, desde a conta de água até investimento em maquinários.


Nesse caso, é necessário analisar e separar as entradas e saídas de dinheiro em categorias das contas (gastos com produtos, serviços, não operacionais, impostos, investimentos e outros).


2. Documente todas as transações


É o momento de registrar as transações efetuadas, no período analisado, de forma objetiva.

Com isso é possível realizar o somatório total das transações financeiras (entradas ou saídas), e ter um panorama geral do seu fluxo de caixa.


3. Analise as informações


Após lançar os dados é a hora de analisá-los, para encontrar o saldo final do período analisado.

Para isso, pode-se calcular o valor das entradas, subtraindo as saídas, encontrando saldo inicial. A análise realizada permite então maior preparação financeira para os períodos seguintes.


4. Monitore e analise os novos resultados


O fluxo de caixa após ser consolidado terá diferentes relatórios que podem ser tirados dele. Para isso, é importante destinar um local na planilha para armazenamento desses dados e posterior analise dos mesmos.


Com isso, você terá um panorama geral, mensal, do fluxo de caixa da empresa.


5. Faça uma análise gráfica


Uma análise mais visual possibilita uma visão mais clara dos resultados.


Para isso, existem alguns gráficos relevantes para extrair o fluxo de caixa de maneira clara e efetiva, como gráfico de análise geral mensal, gráfico de receitas, gráfico de despesas, gráfico de contas a pagar e gráfico de saldo acumulado.


Quais as vantagens de fazer fluxo de caixa?


Já deu para perceber o quão vantajoso é ter um fluxo de caixa na empresa, não é mesmo?



Além dos benefícios já citados pode-se elencar também:


  • Controle total e instantâneo das finanças;

  • Possibilidade planejar promoções com antecedência;

  • Conhecer o lucro real da organização;

  • Registrar todos os valores, mesmo que pequenos.


Saber diferenciar pagamento de contas das demais saídas de caixa.


Para realizar tudo o que foi citado e conseguir obter bons resultados com o fluxo de caixa, também é necessário tomar alguns cuidados para evitar alguns erros comuns durante os processos.


Saiba o que evitar


  • Considerar uma entrada antes da hora

Já ouviu aquele ditado sobre nunca cantar vitória antes da hora? Encare da mesma forma com as finanças!


Se algum valor ainda não chegou à sua empresa, a quantia não pode ser considerada. Registrar um lançamento futuro como parte do seu orçamento resulta em sérios problemas.


Caso necessário, faça uma anotação separadamente para evitar qualquer confusão. Faça o registro apenas quando o pagamento de fato chegar.


  • Falta de frequência nos lançamentos

Manter a constância é essencial para garantia do controle de resultados. Não deixe de realizar o controle financeiro e se manter no comando de toda a situação.


Também é válido ressaltar que os dados coletados em períodos específicos só devem ser comparados entre si. Comparar o desempenho diário com o semanal pode modificar os resultados e atrapalhar o planejamento estratégico da empresa.


  • Previsões baseadas em achismos

Foque seu planejamento baseado em dados já coletados e resultados concretos. Falhas de planejamento podem ser causadas por várias coisas, desde erros no momento de cadastro até misturar contas pessoais e profissionais.


Por isso tome o máximo de cuidado no momento de análise e construção dos planos futuros.


Depois de conhecer melhor sobre a importância do fluxo de caixa e como aplicar na sua empresa, chegou o momento de acompanhar suas finanças.


Se ainda tem dúvidas sobre o assunto ou precisa de ajuda para realizar sua gestão financeira, entre em contato com a gente!



Por: Malu Monteiro


A Optimus Engenharia Júnior é uma empresa de Engenharia de Produção da Universidade Estadual de Santa Cruz. Foi fundada em 2008, e desde então presta serviços de consultoria e treinamentos de qualidade com um preço abaixo do mercado.

Acompanhe nossas redes sociais ou entre em contato pelo site.

© 2020 por Optimus

Informações