logo_branca.png
  • Optimus Engenharia Júnior

A importância do planejamento e controle da produção para pequenas e médias empresas


Segundo o Sebrae, no Brasil as empresas de pequeno e médio porte correspondem a 97% do total de estabelecimentos e destas até 40% não utilizavam um planejamento da sua produção.


Esses dados estão relacionados a grande dificuldade dessas empresas em calcular as quantidades a serem produzidas e as datas de entregas dos seus pedidos. Sendo assim, os gargalos da produção podem estar em qualquer lugar totalmente desconhecido pelo gestor. Quer ver?


O seu estoque anda cheio, mas sempre faltam produtos na hora de produzir?


Ou o processo de planejar a produção está sendo muito demorado e altamente trabalhoso?


Se a resposta para essas duas perguntas foi: “sim”. A sua indústria precisa urgentemente de um PCP.



E com isso, é possível perceber que estar ciente de todas as atividades que compõem a sua empresa, bem como, as suas particularidades, funcionamentos e correlações entre elas, além do reconhecimento dos gargalos presentes na produção, se tornam o ponto de partida para a necessidade da criação de um PCP coerente e efetivo de acordo a realidade e cenário em que a empresa se encontra.


Mas o que é o PCP?


PCP é a sigla para Planejamento e Controle da Produção, um conjunto de práticas que dão direcionamento e resultados ao administrador na gestão de suas operações industriais. E tem como principal objetivo possibilitar a previsão e controle de todos os recursos a serem utilizados na produção, do tempo de cada atividade às habilidades dos colaboradores.


Engana- se quem pensa que o PCP está vinculado apenas à produção em si. Ele deve estar presente nos mais variados setores organizacionais, desde o seu estoque, até a área administrativa, relacionando-os e auxiliando em funções importantes, como a tomada de decisão e o fornecimento de informações para se estabelecer as estratégias da organização.


Como implementar PCP na minha indústria?


O foco do PCP está atrelado principalmente às práticas de elaboração e padronização de produtos e processos. Para isso, é importante listar quais objetivos se deseja alcançar com a sua aplicação, seja:


  • Previsão de vendas;

  • Tempo das operações;

  • Capacidade de produção;

  • Determinar o produto a ser entregue;

  • Quantificar a necessidade de mão-de-obra;

  • Nível de estoques de insumos e produtos acabados.

Já traçados os objetivos, para que a sua produção funcione sem interrupções, erros e falta ou sobra de itens importantes, é essencial traçar um planejamento para seus processos industriais. E em conseguinte, um acompanhamento programado desses processos, para que as falhas sejam reduzidas ou até sanadas, gerando vantagens, como:


  • Diminuição de custos;

  • Conhecimento dos gargalos;

  • Crescimento da produtividade da equipe;

  • Conhecimento da real capacidade de produção;

  • Aumento da qualidade dos produtos e/ou serviços, e;

  • Máxima eficiência entre capacidade de produção e vendas;

Isso seria muito bom, não é? Pois é, alcançando resultados como estes, torna-se possível, a melhoria constante dos processos, controlando e analisando a produtividade, bem como, os materiais parados no estoque. Influenciando o uso correto desses materiais, quantidades utilizadas, cumprimento dos prazos de entrega e evitando desperdícios que podem ocorrer durante o processo produtivo.


Em contrapartida, quando a empresa decide por priorizar outras coisas e não investir em um sistema de PCP, apenas adiam a resolução de diversos problemas na gestão da produção, problemas esses, que são comuns em diversos tipos de segmentos industriais. Mas que, os gestores precisam ficar atentos, principalmente aos seus indícios, para que consigam tratar os sintomas antecipadamente, antes que virem problemas maiores. Auxiliando na tomada de decisões e evitando prejuízos financeiros para as empresas. Para ajudar a entender melhor, algum desses sintomas podem ser:


  • Retrabalhos;

  • Ociosidade na produção;

  • Problemas com fornecedores;

  • Atrasos nas entregas para os clientes;

  • Paradas de máquinas não programada;

  • Estoque lotado, mas falta o que realmente é necessário.

Sua indústria anda apresentando alguns desses problemas? Calma, ainda não é o fim. Mas, já passou da hora de implementar um bom PCP nela.


Fique atento!



O planejamento de produção é apenas a ideia do que se pretende que aconteça. Contudo, esse plano não é a garantia de que esse processo realmente acontecerá:


  • Os consumidores podem mudar de ideia sobre o que ou quando querem;

  • Os fornecedores nem sempre podem entregar pontualmente o produto ou serviço;

  • Máquinas podem quebrar;

  • Funcionários podem errar ou faltar;

  • Inúmeros imprevistos podem provocar mudanças.


Mas, e agora?


Pare e pense, vimos que algumas operações são mais complexas de planejar, bem como, imprevistos como esses, difíceis de controlar por possuírem alto nível de imprevisibilidade.


Por isso, o processo de controle é um passo tão importante quanto o planejamento, pois nessa etapa que serão avaliados os imprevistos e levantadas as ideias para contorná-los. Então tenha sempre em mente: Planejar, programar e controlar.


Por: Tássio Sales

A Optimus Engenharia Júnior é uma empresa de Engenharia de Produção da Universidade Estadual de Santa Cruz. Foi fundada em 2008, e desde então presta serviços de consultoria e treinamentos de qualidade com um preço abaixo do mercado.

Acompanhe nossas redes sociais ou entre em contato pelo site.

© 2020 por Optimus

Informações